“A Linguagem como Descrição e Desvio” – ensaio de Plínio Fernandes Toledo

A revolução começa na expressão movida por uma necessidade vital de recuperação da experiência no contexto da vida fragmentada por um sistema que se produz e se reproduz através do isolamento social real e da ilusão de comunhão, de reconhecimento e diálogo.

Continuar lendo“A Linguagem como Descrição e Desvio” – ensaio de Plínio Fernandes Toledo