MURIEL RUKEYSER (1913-1980)

Poeta norte-americana, jornalista, dramaturga, biógrafa e tradutora de autores como Octavio Paz. Em 1936, estava em Barcelona para fazer a cobertura dos Jogos Olímpicos, quando estoura a Guerra Civil. Ao regressar aos EUA, passou a militar em movimentos feministas e antibelicistas. Chegou a ser presa por se relacionar com jornalistas afroamericanos. Recebeu vários prêmios, mas não abandonou o ativismo político.

POEMA

Eu vivi no primeiro século das guerras mundiais.
Em grande parte das manhãs estava mais ou menos louca,
Os jornais chegavam com suas histórias mal contadas,
A notícia se espalhava por vários dispositivos
Interrompida com a intenção de vender produtos ao invisível.
Chamava meus amigos noutros dispositivos;
Estavam mais ou menos loucos por razões similares.
Pouco a pouco obteve pluma e papel,
Fazia poemas para outros não vistos e não nascidos.
Era lembrada por homens e mulheres
Valentes, criando sinais através de grandes distâncias,
Tendo em conta uma forma anônima de vida, de valores inimagináveis.
Quando as luzes se apagavam, tentávamos nos encontrar
Para construir a paz, fazer amor e nos reconciliar
Despertando o sonho em nós.
Tentávamos por todos os meios
Alcançar os nossos limites, para chegar
Além de nós mesmos,
Para libertar os meios e despertar.

Eu vivi no primeiro século dessas guerras.

Muriel Rukeyser

Muriel Rukeyser

(1913-1980) Poeta norte-americana, jornalista, dramaturga, biógrafa e tradutora de autores como Octavio Paz. Em 1936, estava em Barcelona para fazer a cobertura dos Jogos Olímpicos, quando estoura a Guerra Civil. Ao regressar aos EUA, passou a militar em movimentos feministas e antibelicistas. Chegou a ser presa por se relacionar com jornalistas afroamericanos. Recebeu vários prêmios, mas não abandonou o ativismo político.

Jorge Henrique Bastos

Jorge Henrique Bastos

Nasceu em Belém do Pará. É jornalista, editor e tradutor. Viveu 16 anos em Portugal, onde colaborou em jornais e revistas como Diário de Lisboa, Independente, Expresso, Colóquio-Letras. Organizou a primeira edição portuguesa do romance Macunaíma, de Mário de Andrade (Antígona, 1998). Publicou a antologia Poesia contemporânea Brasileira – dos modernistas à actualidade (Antígona, 2002). No Brasil, organizou a primeira antologia do poeta Herberto Helder, O Corpo O Luxo A Obra (Iluminuras, 1999). Foi editor da Martins- Martins Fontes, Empório do Livro e B4 editores. Colabora na Folha de São Paulo e Cult. Publicou A Idade do Sol (Fenda, 1998), Hemorragia (incluir edições, 2012) e Rajadas (Demônio Negro, 2022), os poemas aqui publicados fazem parte desta obra. Traduziu Yves Bonnefoy, Racine, Aloysius Bertrand, Ezra Pound, Walter Pater, Thomas Hardy, Mark Twain, César Vallejo, Vicente. Huidobro.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram

Deixe um comentário

© Copyright, 2022 - Revista Piparote
Todos os direitos reservados.