LUGAR DE SILÊNCIOS

Lugar de silêncios,
as vozes acontecem,
as histórias repetem-se,
o longe
vem nas malas dos viajantes,
na rota das suas almas,
acontece a vida, a saudade,
o agora, o amanhã,
esse é o lugar onde
existimos.

O LUGAR DAS ILHAS

Parecemos tantas coisas,
mas poucas coisas somos,
o lugar das ilhas.

Parecemos tantas coisas,
mas poucas coisas somos,
um lugar de ilhas.

Parecemos tantas coisas,
mas poucas coisas somos,
no lugar das ilhas.

FONTE

Bebi da tua fonte,
as tuas margens abriram-se,
as tuas algas salgadas,
tinham o gosto a maresia,
águas cristalinas,
afoguei-me,
esqueci o instante,
perdi-me por fim,
na tua concha menina.

SOU ESTRANGEIRA

Estrangeira nesta terra,
neste país,
nos lugares em mim,
nos olhares perdidos,
certezas dispersas,
sou alheia à nacionalidade,
sou estrangeira,
num corpo tatuado,
com formato de mapa universo,
leito de saudades,
multidão de pensamentos,
num mundo de sentimentos,
no cosmos que desconheço.

Sónia Sultuane

Sónia Sultuane

Nasceu em Maputo, aos 4 de Março de 1971. É poeta e artista plástica auto didáctica. Como escritora têm várias obras publicadas com destaque para a sua última publicação em 2021, o seu livro Walking Words – Palavras que andam um pensamento artístico dedicado as palavras, tem ainda cinco livros de poesia, O Lugar das ilhas, Roda das encarnações, No Colo da Lua, Imaginar o Poetizado e Sonhos, ainda publicou dois contos infantojuvenis Celeste, a boneca com olhos cor de esperança e A Lua de N´weti. Faz parte das antologias publicadas pelo CEMD Edições, Lisboa: “Antologia Universal Lusófona”, “Rio dos Bons Sinais”, “Zalala”, e ainda da Antologia "Silêncios que Cantamos" poesia moçambicana. Esta também presente na Antologia “Poesia Sempre” publicada pelo Ministério da Cultura do Brasil, e ainda da Antologia Moçambicana “Nunca mais é sábado” da autoria do escritor Nelson Saúte, publicada pelo Dom Quixote, em Portugal.

Sónia Sultuane foi homenageada no Congresso da Afrolic 2019, pela divulgação da sua obra no Brasil. Agraciada com o Prémio Femina 2017 – Mérito nas Letras: Literatura – Poesia em Portugal. O Prémio Femina é destinado às notáveis mulheres portuguesas e da Lusofonia, oriundas de Portugal, dos países de expressão portuguesa, das Comunidades Portuguesas e Lusófonas, e Luso-descendentes, que se tenham distinguido com mérito ao nível profissional, cultural e humanitário pelo mundo, pelo conhecimento e pelo seu relacionamento com outras culturas. Foi também distinguida pelo seu talento artístico como “Escritora do ano de 2014”, pelo seu papel social na valorização das mulheres, no Festival Internacional de Poesia “Mujeres Poetas Internacional”, organizado pelo Círculo dos Escritores Moçambicanos na Diáspora.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram

Deixe um comentário

© Copyright, 2022 - Revista Piparote
Todos os direitos reservados.