Poema “Infância” – Por Luis Marcio Silva

Die Freuden der Seeleute (1923), Otto Dix


Infância 

Quando era criança
frente ao mar fizéramos
um barco de areia:

Proa, marinheiro,
bússola e bandeira
e uma dançarina.

Vieram as marés
cujas mãos de chuva
lavaram a marinha.

Adeus, dançarina,
que dançou nas ondas
por entre petróleos;

Adeus, marinheiro,
que entrou submarino
a enfrentar torpedos;

Adeus, barco e areia,
Bandeira e corsários,
que roubam memórias.

Luis Marcio Silva é escritor, tradutor e editor da Revista Piparote.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: