Poemas e esculturas de papel de Carlos Dala Stella

Capa do Diário de Ateliê do artista Carlos Dala Stella


O Barquinho

um barquinho de três centímetros
singra a mesa da cozinha
o mar ignoto é de granito
o casco e o velame
uma figurinha delicadamente dobrada
pelas mesmas mãos que à noite
nas profundezas abissais do sono
procuram as minhas
cegas de paixão
e videntes de carinho


Arranjo

o arranjo de rosas com mosquitinhos
que você fez pra me receber, na mesa da sala
entre outros carinhos
me tocou mais do que o escondidinho de camarão
mais do que a música e o vinho
mais ainda do que a caixa de giz colorido
para o menino

mesmo a dupla vazante no décimo andar do desejo
sob a lua de led da cama
sussurrando fagulhas nos ouvidos
só fez acender o pequeno céu estrelado
no vaso da sala
e luzir os quatro sóis róseos
no firmamento da delicadeza


Beijo no pé

beijei a sola do pé
do meu amor enquanto ele dormia
o canto agourento da coruja
não impediu o gozo a cavalo
nem o rosário de putaria
sussurrado ao ouvido

beijei a sola do pé
fora da cama e ela nem se mexeu
a renda preta entre os hemisférios
dissimula a fonte dos gemidos
outra vez esvaziado o corredor
do duplo suicídio assistido

Carlos Dala Stella nasceu em Curitiba. É poeta-pintor. Publicou livros de poesia e artes plásticas, entre os quais A Arte Muda da Fuga, poesia, e Nas Mãos de Benedita, contos, ambos pela Maralto. Transita entre as artes plásticas e a poesia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: